sexta-feira, 11 de dezembro de 2009

Incertezas


Se eu parasse no título, seria suficiente. É basicamente isso que tenho sentido nas últimas semanas. É uma sensação de dúvida que me prende até nas pequenas situações, como ir ou ficar, rir ou chorar, sentir ou analisar.

Estou fora do chão, voando por aí. Ouvindo um som que coloca meus pensamentos mais distantes de minha mente do que se ficasse parado esperando alguém passar e cumprimentar. Percebi que tomei muitas decisões erradas esse ano, e que aprendi uma lição significativa em quase todas elas. Isso é bom.

Estive muito bem esse tempo que fiquei sem escrever. Mas hoje, todas as cores que vivenciei voltaram e criaram um ponto de interrogação na minha frente. Penso em duas opções para levar comigo em 2010: continuar o mesmo, ou mudar drasticamente.

Muitos pensariam que mudar drasticamente é besteira, mas não no meu caso. Qualquer uma das duas daria na mesma pra mim. Mas para os outros, os efeitos seriam bem diferentes. E outra, não tenho tanta vontade de mudar assim, até porque o controle que eu tenho em mim mesmo é pequeno. De qualquer modo, é legal pensar a respeito =)

Férias, bem longe. Não deixa de ser justo, porque já tive férias bem longas que não faz muito tempo que passaram. E são essas férias que são culpadas pelas grandes mudanças que aconteceram e por essas incertezas que sinto.

Pegando um calendário, eu poderia dizer o que faria diferente em cada mês, o que seria pouca coisa (por isso que eu lembro). Foram poucas mas guardei dentro de mim e que penso nelas até hoje.

É o que me deixa sem esperanças para o ano que vem. Que venham as promessas, os desejos, e a chance de poder concretizar cada ideia que tiver, e que proporcione boas coisas para mim e para vocês. Ohhh XD


Por esse ano, está bom. Valeram todos os posts, cada frase foi importante para o crescimento desse blog. Não foi muito, mas foi alguma coisa!


‘‘So this is Christmas
And what have you done
Another year over
And a new one just begun
And so this is Christmas
I hope you have fun
The near and the dear one
The old and the young’’

Um feliz natal e um ótimo 2010! \o/


-Alguém esqueceu de me contar como se faz.

sexta-feira, 6 de novembro de 2009

Virei Santista por um dia.


Imagina o que é ficar em baixo de um sol quente sem nenhum refri-gelado acessível e com um bando de homens suados juntos jogando truco e roubando loucamente. Pior que tem gente que curte uma delícia dessas!

Fora a praia suja cheia de pelegos que acabou sendo o cenário humanista desse dia, em um lugar onde eu achava que só iria para visitar o aquário municipal e ser roubado no Mcdonalds. Ainda bem que fui esperto e farofei no meio da avenida o/

E o mais legal disso tudo é o jogo da montanha russa. Cara, jogar a versão 3-D dentro de um ônibus é bem mais alucinante! Uau, jão. Repare nesses carro.

Mas aconselho a não jogar esse jogo depois de ter comido um sanduíche de presunto. As chances de passar mal são grandes!

E também devo frisar a importância de um repelente para fazer uma trilha. E o tênis, claro. Nunca se sabe quando você usará seu dedão para chutar um tronco cheio de musgos e ficar mancando o resto do dia.

Ou quando você terá a proeza de sujar duas camisas com manchas muito suspeitas e duvidosas. Esse é o tipo de pessoa que já sabe que vai fazer merda e por isso leva duas camisas.

O motivo de ter virado santista por um dia é simples: a admiração por essa cidade muito educada, que tem como prioridade a segurança dos pedestres e, principalmente, pelo pessoal que vem de longe, estudantes das ‘‘escolas perto de São Paulo’’ (isso foi em Cubatão, mas tá valendo).

Não é necessariamente torcer pelo time, o que também não vejo mal nenhum, já que pessoas boas estão em falta por aí, e é por isso que tem pouco santista por aí também!



‘‘Aruba, Jamaica ooo I wanna take you
Bermuda, Bahama come on pretty mama
Key Largo, Montego baby why don't we go
Jamaica Off The Florida Keys


There's a place called Kokomo
That's where you wanna go to get away from it all


Bodies in the sand
Tropical drink melting in your hand
We'll be falling in love
To the rhythm of a steel drum band
Down in Kokomo’’




Não ouça essa musica se você for pra Santos! Ouça qualquer outra que não lembre praia, porque quando você chegar lá, o máximo que você vai querer é ir tomar uma ducha.

Tá bom vai. ‘‘Pelados em Santos’’ até que cai bem.

quarta-feira, 14 de outubro de 2009

Bipolaridade Oculta (Baseada em fatos fictícios)


Eu queria estar na sala agora, assistindo o caso do Button não- sei- o-que (É. Eu não assisti ainda), mas resolvi voltar a postar nesse blog, em homenagem aos leitores que descobri nessa semana!
Pois bem, existem regras nesse lugar, que vocês deverão seguir se quiserem permanecer. As mais importantes, citarei agora. O resto vocês podem ir descobrindo em pistas como ‘‘alt + f4’’ ou apertando um ‘x’ no canto superior direito dessa janela, que é certamente a sua vontade agora. Voltemos às regras:


1 – Ficar devendo aos seus amigos sob quaisquer circunstâncias, não importa o valor, nem a causa da dívida.
2- A conseqüência fica por conta de suas pernas, isso é, se você tiver um bom condicionamento físico para correr =]
3 – Não vale devolver o dinheiro em menos de duas semanas, pois esse é o prazo até se irritarem com você.
4 – E quando já estiverem a ponto de te socarem, é aí que é revelada a sua carta da manga: ‘‘sabe aquela sua caneta que você vem procurando há dias? Então, nem reparei que tava no meu estojo... ’’.
5 - Esse processo tende a se entender fácil e rapidamente. O que irá causar mais raiva e nervosismo nos outros.
6 – Nessa altura do campeonato você provavelmente estará bem íntimo dessas pessoas (?). E nada impede se você quiser pedir uma carona ou uma visitinha a casa deles se não tiver nada pra fazer no seu próprio lar.
7- É um processo complicado, mas há quem consiga ser um sujeitinho ordinário como esse que descrevi ;].
Eu poderia fazer várias listas como essa, baseando-me só em pessoas ao meu redor. Mas como o objetivo desse blog não é julgar os outros e sim a mim, deixemos isso para outra emissora se preocupar.

‘‘The Other Me Would Rather Be The Glad One
The Other Me Would Rather Play The Fool
I Want To Be The Kind Of Me That Doesn't Let You Down As A Rule’’

Basta saber lidar com isso. E como administrar, também. É fácil falar das qualidades de todo mundo em depoimentos e trocas de tweets. Os defeitos geralmente são feios e acabam se escondendo no fundo do baú. Não aqui \o/

E lembre-se: não acredite em verdades.

domingo, 27 de setembro de 2009

Física.

Antes de começar falando de todas as coisas que me deprimiram nessas ultimas semanas, de dizer o quão cinza minha vida voltou a ser e toda aquela coisa que só acontece por que os outros querem ver você bem acabado, mesmo (sorte do melhor amigo) eu prefiro começar falando da estrela cadente que caiu em minha cabeça! A pancada que de tão forte me deixou com gotas de esperanças que se derramaram em meus olhos. Essa introdução dá no mesmo que dizer: ‘‘Yes, we can’’.
E como podemos, cara. Sabe que filmes ajudam você a se sentir bem, do tipo ‘‘Nossa. Esse cara tá pior que eu, não estou tão ruim assim’’.
Fora a vontade de estudar, bem quando você realmente precisa estudar. E dá no que dá. A física sempre tem razão. Pelo menos ela quis entender a música. Quem sabe agora não nos entendemos também...
E tentando escrever rápido, pra poupar tempo. Dessa vez não dá pra explicar detalhado, mas a essa altura você deve conseguir me entender, depois de todos esses posts.
E faltando quatro dias para me integrar ao grupo de jovens brasileiros que aparecerão em rede nacional apenas para ver alguns egos inflados e choros falsos de emoção, eu vos digo ‘‘Salve salve, VMB’’ =D
Respeitando ao máximo o limite de linhas do vestibular e os três minutos para cada questão do Enem, chegou o momento em que pêlos e cinza se misturam para virar um lindo arco-íris peludo. Que agradável.
[Certeza que a rainha da Inglaterra não riria dessa piada. Que falta de etiqueta )= ]
E quem discorda que atire a primeira pedra.
‘‘O Tevez era melhor que o Robinho!’’.

XDD

sexta-feira, 28 de agosto de 2009

Dia Branco.


Exatamente. Hoje eu acordei e pensei: ‘‘merda, morri.’’. Não aguentei e tive que tirar essa foto para ter uma ideia de quão branco o meu dia foi!
Mas acho que tem certo sentido essa cor, já que a semana foi bem colorida, com várias cores representando a minha indiferença em relação às provas, meus sentimentos que ''vão e voltam'' e minha vontade de matar todo mundo que é hipócrita. E juntando isso tudo, o resultado é o branco, não?
Sem muita inspiração pra escrever. Tô com sono e não quero que isso demore. Mas até a hora de terminar eu possa ter mudado de ideia. Só preciso fazer isso por causa de uma coisa que já expliquei antes. Não tenha preguiça de reler os textos antigos!
Amigos que esquecem amigos, amigos que são sinceros com amigos, amigos mulheres (isso existe?) e amigos que dão em cima de amigos (em relação aos amigos mulheres, claro). Indo por esse lado me faz pensar se existem amigos que são amigos que impedem você de andar com garotas nos intervalos. Pois é, me enganei. Essa merda não existe. Se existe, não cheguei a conhecer (mas achei que tinha conhecido).
E pelo menos pensarem mal de você em outra língua é bem melhor do que pensarem que ''você tá dando em cima da minha namorada, man'' em português, mesmo. E vou investir nessa falta de comunicação, sim. É minha única esperança do ano. E sei que tem jeito de dar certo, afinal, é a única.
Por enquanto.

- Pelo menos a coisa toda é simpática. Gosto disso.
- Sendo falsa ou não, o importante é que estou me divertindo.
- E que isso tudo deve ser uma diversão pra todo mundo.
- E que... Na falta de alguém pra lhe convencer de que o Leroy não vai voltar, existe o Google tradutor, que vai fazer você se sentir o cara mais Cult de todos. (isso só vale pra conversas no MSN. XDD)

É, man. É bom que a vida continue girando, me faz querer vomitar cada vez mais. De preferência na cara desses cretinos que existem por aí. Pena que eu sou ''bom'' demais pra fazer um troço desses.

- Alguém esqueceu de me contar como se faz pra ser um cretino como eles.

sábado, 15 de agosto de 2009

Tout le monde est un peu Blas. =]



Cara... Um peixe grande acabou de aparecer na minha frente.Eu não esperava por isso! É grande mesmo... Tão grande que me fez sentir inferior. >.<
Você acorda achando que não vai ter nada de novo, já que essas férias estendidas deixam a gente mais mole do que se estivéssemos na escola, fazendo coisas e se sociabilizando. Um vídeo game pode ser uma grande arma a favor dessa monotonia em casa.
E por isso que você pensa ‘‘hoje ninguém vai ligar me convidando pra sair, e nem eu vou fazer isso’’. Aí chega a bomba. Como assim?? Não faz sentido!
É pra acertar direto nas pernas, mesmo. Eu só tive que dizer isso porque achava que outra pessoa fosse escrever. Mas ai como ela foi mais esperta e não foi a que teve que vir até aqui, eu fiquei com as palavras no colo. De novo.
Me sinto como a Lucy, em volta de diamantes. O que eu preciso está em minha volta, não é mesmo? Não.
Vidas diferentes são muito difíceis de bater de frente. Por isso que vivem nos dizendo que ‘‘tal pessoa é mais parecida comigo do que você. ’’ Mas são as que se dão melhor. As que conseguem criar as melhores músicas juntos. Como diria o poeta: ‘‘Gêmeos são esquisitos’’.
Mas são bonitinhos! XDD (Maldito XDD).
E esses seres completamente diferentes são os que dão risada quando deixam cair açaí no chão. Pelo menos um deles acha graça, a outra fica toda preocupada, achando que é o fim do mundo. Que tipo de pessoas são essas?
Pessoas que fizeram Find a Way e Amor de Baralho no mesmo dia. Que sorte a de vocês! Ou a nossa.
E ninguém é tão blasé quanto o Garfield! Eu conheço uma pessoa que tá tentando, mas mesmo que não conseguir, vai dar raiva só de olhar pra cara dele.
.
Alguém lembra de ‘County Down’? Essa é pra vocês:

‘‘Woke up in the morning
Had a feeling strange
It's gonna be the realization
Of the things that has never changed.’’

Ou algo parecido com isso XD. Alguém esqueceu de me contar a letra.

domingo, 2 de agosto de 2009

Surpresa!

Uau, que dia!

De fato algumas descobertas na vida são sem querer. Um dia você chega em casa, querendo tocar piano e percebe o quão insignificante você pode ser, tentando achar alguma coisa entre as teclas brancas e pretas. Eu acho que todo mundo tem liberdade para descobrir. Independente do jeito que for. E que não me venha aqueles profissionais com cabelo bagunçado que só usam terno me dizendo como se deve tocar.
Mas eu tenho que dizer também que estou mais longe do que achava que estava do meu eu-lírico. Gênio não se encontra todo dia. E não é vendido em lojas. Ou você é , ou você não é. Coisa que vem de berço sabe?
Mas lógico que influências são as causadoras disso tudo. Por mais que você queira discutir com uma pessoa mais inteligente que você, até que você pode se sair bem e deixar a conversa toda confusa do tipo ‘‘ah, deixa pra lá’’, mas nada que inverta o placar. É uma droga, eu sei. O pessoal de lá nunca desiste. Não é a toa que estão lá.
E falando em influencias, aproveito para dizer que o que é meu não é seu (derr, meio óbvio, não?). Mas em alguns casos não é bem assim.
É descobrindo outras maneiras de pensar e outros jeitos de ser que você pode se sentir diferente do jeito que te faça se sentir bem. Não que seja uma falta de personalidade nem nada, mas é pra isso que existe o nome ‘‘fases’’. Se não, tudo seria entediante. Já pensou se eu estivesse falando da , ainda? =X
E já pensou se blog fosse um livro? Uma única história? Quem é que lê apenas um único livro em toda sua vida? E que faz dessa história a sua vida. Quero ver quem é que faria isso x)

domingo, 19 de julho de 2009

A noite mudou de cor.


Sim, sim... E quem disse que não poderia ser diferente?

E nesse vai e vem de histórias, às vezes até um pouco cansativa, resolvi deixar de lado os contos para, literalmente, entrar dentro deles.
Fazer alguma coisa que me faça sentir que esse blog deu certo. Pelo menos pra mim.

Por que pra você(s)... É muito relativo. E com certeza não será um problema de que eu irei me preocupar. XDD

‘‘XDD’’

Para o gay que me disse isso, que me faz rir com todas essas novidades ‘‘a lá emo’’ dele... Puxa, que cara legal.

E nesse vai e vem de histórias, precisamente nesse exato momento, estou passeando de carro por entre essas arvores e com o máximo de atenção para não bater em nenhuma delas. Pensei que dirigir era mais prazeroso (não posso dizer muito, por que não passei de 80 km...), mas tenho que dizer que houve uma melhora significativa em relação a ultima vez!

Enquanto me preparo para mais uma noite cinza, me vem a salvação: ‘‘bebedeira com amigos? To lá!’’. Não foi tão ‘‘revoltoso’’ como parece. Foi legal, sabe. Para descontrair.

Enquanto alguns me procuram do outro lado da cidade, eu fico desse lado esperando um retorno, mas ao mesmo tempo querendo aproveitar o máximo dessa nova cor: verde.

Esse verde veio com um pouco de amarelo e azul. Definitivamente, sou brasileiro. E até que estou vendo certa compreensão nessas cores da bandeira. Que mudança.

E já que estamos falando em mudança de sintonia, de geração, é preciso deixar as minhas obceções nos últimos posts, mesmo. Não deu pra segurar, nem eu entendi, também. Mas aquilo foi muito importante, como vivência e tudo. E eu digo isso também como um iniciante no ramo de blogs.

Vivendo em segredos, como sempre, deixo aqui um que talvez seja o ultimo ‘‘até logo’’ no meio desse mato, por uns tempos. Passei o tempo suficiente por aqui. E vou sair de um jeito diferente, assim como defino a estadia dessa vez.

Não será a ultima. Não existe esse negócio. Nem quando você realmente quer que seja. É osso (H).



''Take me down to the Junior's Farm.''

-Wings.


''Eu também!''

-.

segunda-feira, 13 de julho de 2009

Enganei você!

Na verdade não, eu só quis tentar enganar agora...

E parece que essa tal de não existe mais, então para que continuar falando dela?
Existem outros peixes no oceano \o/

E pra ser sincero, acabo de conhecer mais um:

‘’Ela estava feliz. Só naquele dia sua boca ficou em formato semicircular mais do que em toda a sua vida. O pequeno garoto em seus braços a fazia se sentir bem diferente.
E ela veio falar comigo. Como era de costume de tempos em tempos. Fiquei feliz por ela também, apesar de ainda não ter superado a perda da última história (fracassada, diga-se de passagem).

Mas o importante é que de todas aquelas noites passadas em claro pensando no que havia acontecido e no que provavelmente iria acontecer. Inúmeras possibilidades de novas situações, enfim... Ver aquele rosto branquinho e macio no aconchego de sua nova mãe fez com que a angústia saísse de dentro de mim e cedesse espaço para uma natureza mais alegre, mais colorida.

Chega de cinza por essa semana. É difícil que fique assim por um tempo. Mas é um ciclo que já estou acostumado. E depois disso sempre vem alguma coisa boa, para que prepare o terreno para esse cinza, novamente.

E então, é só continuar vivendo, deixar que vida o guie para algum lugar que o esconda da vergonha, como já dizia aquele cara, lá... ’’

Vida. Seja meu escudo.
-Magic.

Black Metal. Me deixe surdo.

-.

Carta que acabei de receber. Por mais arco-íris que tenha sido nos fins de tarde nesse lugar, as noites sempre parecem estar contra mim. E olha que conheço bem certas noites...

quinta-feira, 9 de julho de 2009

Não achei que você iria demorar tanto tempo pra voltar.

Assim que saiu do banheiro, a pequena se deparou com um bilhete em cima de sua cômoda, tentou reconhecer a letra, mas fracassou. Mesmo assim tentou ler com a máxima atenção:

‘’Minha pequena;
Você provavelmente deve estar com muito sono, mesmo tentando o máximo que pode para permanecer acordada. E ainda tentando prestar atenção neste bilhete. Pois saiba que admiro muito essa sua persistência e que seria muito útil, para nós dois, se continuasse assim.
Eu sou fraco. Perdi. Não te mereço. Acho que temos muitos problemas e que não seria sincero se continuássemos juntos. Aquela diversão que tínhamos quando nos conhecemos não parece ser tão divertida agora. Eu reconheço como fui ignorante por pensar que se divertir significava, de fato, se divertir. Aprendi comigo mesmo que isso não é verdade.
Diga que não é verdade;
Provavelmente estou bem longe, agora. Irei me entregar ao destino e que ele saiba o que fazer de mim. Você será esperta, e não dou alguns meses para que esteja tocando a vida e esquecido completamente de mim. Todo esse tempo eu nunca achei que fossemos tão próximos como pensávamos que éramos. Por mais íntimos que fossemos, ás vezes sentia que éramos apenas colegas de quarto.
E por mais triste que isso possa soar, se fosse alguns anos atrás eu estaria pensando na tamanha besteira que acabei de fazer. Mas só mesmo o tempo para nos fazer mudar de ideia. Se isso tudo fosse para te deixar sozinha, eu nunca faria isso. Sei que você terá aconchego. E dos melhores.
Cabe agora me despedir, mesmo desse jeito. Eu amo e amarei para sempre a minha pequ...’’

O resto não interessava mais. Com suas lágrimas de sangue queimou aquele bilhete sem precisar de fogo. Seu ódio já era quente o bastante para que ocorresse a combustão. Era mais uma relação fracassada. Que fosse a última, pelo menos.

''Homens, me dá vontade de vomitar quando dizem algo desse tipo.''
-Pigs

''Mulheres, sempre acreditando em tudo que lêem.''
- .

Sinceramente? Eu não sei se isso aconteceu antes ou depois do último post. Eu só estou escrevendo o que me disseram. Não dá pra colocar tudo isso em ordem, oras. Alguém esqueceu de me contar como se faz.

sábado, 4 de julho de 2009

Dúvidas


''Logo estarei em casa, não se preocupe''. Durante toda aquela noite pensava nessa frase que lhe foi dita à algum tempo, mas que desde então não saíra de sua cabeça. Fora deixada sozinha por todos que a conheciam. Era a chegada de uma nova era: a do exilamento total em sua casa urbana, acima de tudo, onde poderia observar todos os pequenos detalhes de seus vizinhos, dos moradores ao seu redor, e o que aqueles pequenos feixes de luz queriam lhe dizer. Por mais escuro que estivesse, haveria sempre algo criando um clarão que tentasse lhe mostrar que não haveria um final simplório, passado em branco. ''Tudo tem algum sentido, não se preocupe''.

E por mais que tentasse ver que ela não era um ponto invisível no meio de uma imensidão de pessoas, a dor aumentava. Angústia de ver tudo dar certo, desde que não a atingisse de alguma forma. Era incrível como seu pensamento era a sua própria armadilha.

Não gosto de usar a palavra ''solidão'' para descrevê-la. Definitivamente, não era pra tanto. Sua mente lhe mostrava que nem sempre estaria cercada por sorrisos e cores vivas, música alta e ambiente descontraído. E que haveria épocas em que ela deveria ser forte para aguentar o tranco. Parecia que as pessoas não a procuravam mais. Era estranho. E sua única fonte de continuar lutando havia sumido. Mas logo estaria de volta, com toda a certeza.

Sim, tudo iria voltar, desde que não fosse tarde demais. E para que isso acontecesse, deveria contar com uma mínima parcela de sorte. Ela era jovem, e tinha muito para aproveitar. Iria presenciar novas situações ou até as mesmas que já presenciara, só que de algum jeito diferente.

E assim as pessoas iam voltando, como se nada tivesse acontecido. Como se usassem uma espécie de ''pause'' em sua vida.

''As coisas sempre aconteciam como se nada tivesse acontecido''.

Ela precisou dar um tempo à essas pessoas. Ver se as coisas voltariam ao normal mais rápido.

Chegamos na parte da história que todas as outras folhas estão em branco. Ainda. Não se há notícia dela. Deixou tudo, assim como tudo a deixou. Até acharmos uma continuidade para esta, o interesse já vai estar perdido. Portanto, declaro como acabado.


''Não sei escrever fins que justifiquem os meios. Normalmente escrevo de trás para frente. Alguém esqueceu de me contar como se faz.''

quinta-feira, 2 de julho de 2009

Bem vindo ao Clube \o/

Grande! Nada melhor do que começar do zero, hoje. Foi um dia pra pensar, pra refletir as atitudes. E mesmo faltando algumas horas para o dia terminar, eu o declaro acabado. Cheio. Hoje representou o ápice da minha incerteza, eis o motivo desse blog. Quero enche-lo de cores, de cinza, de risadas, de choro, palavras, sejam elas entendíveis ou não. Eu só não posso continuar guardando-as em minha cabeça. Não mais.

E nada melhor também do que começar com um título nas costas \o
Que moral, hein...

''Fonte'' em homenagem a um grande amigo meu =) Aquele que hoje me mostrou o outro lado das coisas e que mesmo não querendo fazer um favor pra mim (tem a ver com irmãs, não entendi bem), eu ainda acho que ele sabe tocar baixo! e alto também...

E se você vai querer vim aqui, também não sei. Só sei que algúem esqueceu de me contar como se faz.

Direito.
o/