sexta-feira, 26 de março de 2010

Cavernoso

É como se eu estivesse em uma montanha russa, prestes a ter a sensação da queda. Temos o primeiro momento, da ascensão, estamos no topo do mundo. Analisamos todos lá em baixo, procuramos definir bem os rostos borrados, preparando nossa mira para acertar o primeiro que se dá o luxo de ser o nosso escolhido. Achamos que não tem ninguém melhor que nós, que todas as garotas nos acham atraente e que estão loucas para nos fazer uma declamação. É simples quando somos irresistíveis, torna as coisas tão mais fáceis.

-Não digo que sou, mas ao menos causei impacto. E não foi só em uma pessoa (não me orgulho disso), mas é sempre bom ser notado depois de tanto tempo preso no quarto, escrevendo textos para postar em blogs pseudo-filosóficos.

De repente, o carrinho começa a descer. Toda aquela euforia vai ficando pra trás deixando que o vento começe a devorar aqueles rostos cada vez mais borrados, causando um certo medo do tempo que parece passar tão rápido. Vontade de gritar ''por que isso está acontecendo comigo?'' – essas coisas deveriam acontecer com o vizinho, isso sim.

-Também não me orgulho de minhas escolhas. Eu, justo eu, que sempre fico em duvida sobre o que fazer, sobre ir ou ficar, estudar ou tocar(?), enfim.

E enfim, o carrinho pára. Não que eu esteja feliz por isso ter acabado, já que sempre fico com saudade das coisas que se vão, por mais inconvenientes que elas sejam. Pois é melhor ter alguém te cutucando a ter vinte dedos e não ter como cutucar alguém.

Escrever é como vomitar, pra mim. Depois do álcool, vem a leveza, a dor de cabeça. No dia seguinte, a ressaca está tão impregnada que faz você pensar ‘‘mano, o que foi que eu fiz?’’. Você fez merda, isso sim.

É como se estivesse em uma montanha russa, prestes a ter aquela sensação de subir. Temos o primeiro momento, do sonho, onde estamos em terra firme esperando que alguma hora iremos decolar. Analisando todos que estão na fila, esperando a sua vez e vendo que estão morrendo de inveja de que já está lá antes deles. Achamos que não tem ninguém melhor que nós, que todas as garotas nos acham atraente e que estão loucas para nos fazer uma declamação. É simples quando somos irresistíveis, torna as coisas tão mais fáceis.

A vida é uma montanha russa. Você sobe, desce e sempre vai parecer que não saiu do lugar.





‘‘Mas essa lua, esse conhaque. Botam a gente comovido como o diabo.’’