sábado, 9 de abril de 2011

Eu não acredito.


Uma história sem fim que acaba em três meses. Pelo menos é isso que me disseram.

E eu me recuso a acreditar nisso. Tenho certeza de que não é verdade. Por mais que seja, é mentira.

Isso vai soar muito estranho, até porque eu não tenho o que falar. Esses últimos meses dizem tudo, por mais que eu não tenha vindo aqui escrever nada. Não era preciso, tudo estava indo bem. Ou pelo menos achei que estava.

Não acho que isso seja uma carta de despedida e nem que vá estragar mais as coisas. Se bem que eu acabei de desligar o telefone e posso ter estragado. Mas acredite, não queria que tivesse pensado assim.

É engraçado como existem tantas músicas que falam por você. Mas todos se recusam a ouvir. Não haveria motivos, portanto, para escrever aqui. Eu quero vomitar meus sentimentos ruins. Meus pensamentos ruins. Às vezes funciona, às vezes piora.

Eu quero viver a dois. Pensar a dois. Sentir a dois. Por mais que dois elementos de uma mistura não tenham a mesma densidade, isso não impede deles viverem em um mesmo recipiente. E não digo que somos diferentes, o momento é diferente.

Mas uma metáfora química não é a melhor opção pra esse momento, em particular. Eu não sei o que é melhor. Só sei que nada está certo.

Eu quero resolver as coisas. Nós podemos dar um jeito.



Mas sem frases de efeito. Três palavras bastam.